Alírio Netto novo vocalista do Queen Extravaganza concedeu uma entrevista EXCLUSIVA à Lady Taylor

alirio-montagem

Alírio Netto novo vocalista do Queen Extravaganza deu uma entrevista EXCLUSIVA à Lady Taylor que disponibilizou exclusivamente via QueenBrazil! 🙂

1- Quando e como você começou sua iniciação musical, seu gosto e interesse pela música? Fale um pouco da sua trajetória profissional.

Comecei minha carreira aos 15 anos cantando em bandas de rock na cidade de Florianópolis, mas o interesse pela música aconteceu quando eu tinha 8 anos e vi o show do Queen no primeiro Rock In Rio pela TV. Ver o Freddie fazendo 400 mil pessoas entoarem Love of My Life foi um divisor de águas na minha vida. Nesse momento entendi o que eu queria fazer da minha vida, foi o Mercury quem despertou em mim essa faísca que fez chegar até aqui. Devo isso a ele, meu grande mestre.

2- Sabemos que foi professor de canto e teatro musical – Como é ver um aluno seu atuando em um musical ou fazendo trabalhos solo?

Sou professor de canto faz uns 17 anos, estudei muita técnica vocal a vida inteira e me preparei muito para essa carreira. Fiz e ainda faço aulas de canto até hoje, comecei estudando erudito e uso esses conhecimentos para ajudar os meus alunos, estudei música também, toco piano, e também componho bastante. Tenho muitos alunos fazendo carreira tanto no teatro como na música em geral, é sempre muito gratificante ver algum deles conquistando seu próprio espaço.

3- Você tem tempo para se dedicar a trabalhos como compositor?

Compor foi umas das coisas que o Queen despertou em mim. Queria entregar minha arte por meio da minha própria música, dar voz aquilo que eu sou e me tornei, e isso que faz você conquistar seu espaço e ser lembrado pelo que você é. Tenho 5 cds gravados com as bandas Khallice, Lince e Age of Artemis, todos lançados mundialmente, com essas bandas tive oportunidade de dividir o palco com Guns N Roses, Iron Maiden, e vários artistas do Mainstream, estive em festivais como o Rock in Rio, por exemplo. Lancei ano passado um cd solo chamado João de Deus, e tenho também algumas participações em alguns Cds do Angra e de outras bandas.
Atualmente sou artista da Som Livre através da Art entretenimento que cuida do meu catálogo.
Devo ter umas 70 músicas gravadas e registradas.

4- Você fez dois grandes musicais, qual a diferença entre eles?

Esses musicais profissionais funcionam como franquias e eu estive em 3 delas.
Fiz o papel de Jesus na versão mexicana do Jesus Christ Superstar, fiz o Judas na versão brasileira do mesmo musical, papel pelo qual eu ganhei prêmios e um reconhecimento bem bacana da mídia e público em geral. E o último e o mais legal de todos foi o papel do Galileo na versão brasileira do We Will Rock You. O Queen sempre esteve nos momentos mais marcantes da minha vida. Todos os testes que eu passei foram através das músicas do Queen que nunca me abandonam.
No we will rock you o Queen me proporcionou algo ainda mais incrível que foi conhecer minha esposa Livia Dabarian que fazia o papel da Scaramouche. A diferença entre esses musicais é que você como ator aprende a se emprestar para o personagem, cada um é como se fosse um filho e ter contato com o teatro me fez ser um artista muito mais completo.

5- Qual o seu primeiro contato com a música do Queen e o que ela significa para você?

Foi no primeiro Rock in Rio assistindo ao show do Queen pela tv. Fiquei tão enlouquecido que roubei os discos do Queen da minha mãe rs…
O Queen não é só minha banda preferida como também é sagrado para mim.
Freddie é incomparável e a força de suas músicas ecoam no meu coração com uma verdade tão grande que sempre me emociono.
Essas músicas me tornaram o artista que sou hoje, tenho muito que agradecer ao Queen.

6- Qual o seu álbum ou música do Queen preferida e por que?

Gosto de todas as fases da banda então minha música preferida muda de vez em quando, mas Who Wants to Live Forever é especial por que era o dueto romântico entre o Galileo e a Scaramouche, lembro de um dia que o Brian May mandou um e-mail para a gente explicando o sentido da letra, choramos o resto do ensaio todo rs… Foi muito emocionante.

7- Além de Queen, quais são as suas outras bandas de Rock and Roll favoritas?

Gosto de músicas que tenham um texto interessante além claro de melodias marcantes.
Sou um cara eclético gosto muito do Journey, U2, Beatles, Pink Floyd, Led Zeppelin, Sting, Guns, Seal, Michael Jackson, Toto, Dream Theater, Van Halen, Chris Cornell, enfim…
Bastante coisa não é rs…

8- O convite para integrar o QEX veio de quem? E de que forma foi conduzido o processo entre, bate papo, escolha… como foi, quais os caminhos percorridos pra chegar ao Queen Extravaganza? Qual a sensação disso tudo?

Eles, o Brian May e o Roger Taylor já me conheciam por conta do musical We Will Rock You, então acredito que isso facilitou a decisão. O primeiro contato aconteceu em dezembro passado quando eu estava na Europa em lua de mel, eu e minha esposa Livia Dabarian estávamos indo para o show do Queen em Londres, o Brian May nos colocou na lista dele e uns dois dias antes do show recebi um e-mail do empresário deles Jim Beach me perguntando se eu teria interesse no Queen Extravaganza.
Como eles sabiam que eu estava indo para o show me chamaram para uma reunião me perguntando se eu teria as datas da tour disponíveis, eu obviamente já estava com um sorriso de orelha a orelha rs…
Avançamos nas negociações que duraram até algumas semanas atrás e o resto é história.
Eu fiquei muito emocionado e tanto eu como minha esposa choramos quando percebemos o que estava para acontecer. Sei que minha responsabilidade é gigante e como sou um cara muito focado estou desde já me preparando física, vocalmente e mentalmente para esta tour. Vou me entregar de corpo e alma para esta banda e prometo fazer o meu melhor para que essas músicas sejam entregues como elas e o público merecem. O legado do Queen merece todo o respeito e a dedicação de qualquer artista que tenha o privilégio de fazer parte de um projeto dessa magnitude.

9- Quando você começará os ensaios com a banda QEX?

Acredito que devemos começar em agosto ou talvez até um pouco antes.
Ainda não tenho todas as datas da tour então isso e com eles.
Mas quando quiserem eu estarei lá.

10- Existem conversas… possibilidade de a banda vir ao Brasil, uma vez que o vocalista agora é um Brasileiro?

Acredito que sim, já recebi várias mensagens, mas acho que se rolar será ano que vem.

11- Você terá um grande desafio em substituir Marc Martel no QEX. O que você acha do músico canadense? Está preparado para ser comparado com ele e com Freddie Mercury?

O Marc e incrível! Tem uma voz linda e merece todo meu reconhecimento e respeito.
Já o Freddie não tem comparação rs…
Sei que vai ter gente que vai gostar e outros que não, isso eu não tenho controle então só posso me preocupar com aquilo que pode ser controlado, que é me entregar de corpo e alma para a banda.
Acho que eles queriam alguém que pudesse entregar essas músicas dentro do estilo e respeitando o legado da banda, mas que também pudesse imprimir sua digital e é isso que eu vou tentar fazer.
Já aguentei muita porrada na vida e sei que o preço de chegar aqui não foi barato, estou disposto a morrer por essas músicas se for preciso! Morro atirando rs…!

12- O que você acha de Adam Lambert no Queen? E do Paul Rodgers? Para você, quem seria o vocalista ideal para o Queen?

Qualquer um que cante qualquer coisa do Queen e não seja o Freddie está fadado a sofrer as consequências dos seus atos rs…
O Adam é um artista completo e muito versátil, um cantor que tem completo domínio da voz, o que para cantar essas músicas se faz necessário. Acho que ele é sim o mais adequado para a banda exatamente por fazer tudo isso e ainda assim imprimir sua essência nessas músicas.
Paul Rodgers é um dos caras com mais personalidade do rock. Tem esse jeito de cantar meio blues e que faz com que as músicas soem como se fossem dele. É um artista muito inteligente por entender isso e não tentar ser quem ele não é.
Muitas das versões que ele faz me fizeram cantar as músicas do Queen de maneira diferente me arriscando mais.
Ainda assim vejo o Adam como o cara mais adequado para a tarefa.

13- Você esteve recentemente em Londres para assistir Queen + Adam Lambert. Você como fã, qual a sensação de estar vendo Brian May e Roger Taylor ao vivo com Adam Lambert e depois como foi seu encontro com Brian e Roger?

Na hora que o Brian apareceu eu já comecei a chorar rs… A Lívia quem me falou para segurar a onda rs…
O show foi animal e eles foram uns Gentleman’s todo o tempo.
A tour deles está incrível, o show foi cheio de energia, todos quebraram tudo!
Foi uma noite perfeita.

14- Quais são os seus projetos de 2018, além claro, do Queen Extravaganza?

Tenho a gravação do meu DVD dia 24 de abril no teatro Porto Seguro em São Paulo com participações bem especiais como a banda Angra, Livia Dabarian, e o cantor do Dream Theater James Labrie seguido de uma tour pelo Brasil entre abril e junho. Em julho vou protagonizar a opera rock Frankenstein em Florianópolis com a orquestra Camerata que já acompanhou o Steve Vai no Rock In Rio. E depois, a tour com o QEX.

15 – Faça um convite e dê a sua mensagem para os fãs do Queen?

Em primeiro lugar gostaria de agradecer a você Lady por ser uma Lady e pela entrevista, a todos os fãs do Queen que assim como eu amam a banda, e também a todos aqueles que estão torcendo por mim nessa nova fase. Gostaria também de convidar a todos para que compareçam nos shows, sejam fora do Brasil ou aqui.Seria uma honra ter os fãs brasileiros do meu lado.

Colaboraram de Ana Paula Tatarunas/ Ivy Tavares